Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

E porque não eu?

terapia de reflexão para mentes livres e com paciência, SA ou Lda não interessa, pelo menos pensar não paga impostos

E porque não eu?

país do Défice

por António Simões, em 23.09.15

Não será necessário efectuar uma pesquisa exaustiva, para chegar à conclusão que a tugalândia é neste momento o país do défice. Seria maçador, e porventura assustador, aqui classificar todos os défices que grassam nos números do INE, mas hoje mesmo veio à luz do dia a mais recente actualização do défice público de 2014, registando valores semelhantes aos de 2011. Ou seja, depois de 4 anos de purgas e sangrias efectuadas por este governo, de um modo que já não se fazia desde os tempos da idade média, estamos na mesma, e não querendo usar o vernáculo, direi que continuamos no pântano... O certo é que confirmado-se o cenário grotesco que as sondagens antecipam, a vitória da coligação PàF no dia das eleições trás um novo défice ao portefólio dos défices tugas - o défice de atenção do eleitorado. Esta patologia é uma vertente da actual PHDA, pelo que como ainda não existem estudos epidemiológicos que permitam estabelecer uma terapêutica adequada, o melhor mesmo é distribuir ritalina e concerta (podendo optar pelo genérico) entre o eleitorado tuga, esperando que ainda se vá a tempo de evitar uma catástrofe eleitoral...

olha para o que eu Digo

por António Simões, em 10.06.15

Nunca este ditado popular, que termina com "mas não para o que eu faço", teve tanto sentido como desde o momento em que PPCoelho desafiou os jornalistas em particular e o povo no geral, a procurarem as suas supostas declarações em que convidaria o pessoal a emigrar. De facto, se retirarmos toda a essência da língua portuguesa, em nenhuma das declarações proferidas pelo primeiro ministro está clara, tipo preto no branco, qualquer referência à emigração. No fundo, esta semana PPCoelho fez justiça a esse ditado popular, mas só na sua parte inicial, confirmando-se que o que ele disse é no fundo aquilo que ele próprio baptizou de "mito urbano". Contudo, o que ele fez e faz, enquanto governante, apresenta motivos de sobra para confirmar que afinal o mito é uma realidade triste e bem mais dura, que as palavras de barítono de coro deste projecto de ministro não se cansam de escamotear. Os números do desemprego que tem vindo a diminuir são obra da emigração, e não das políticas desta coligação medíocre, ombreando com os registos do êxodo no tempo da outra senhora, de salazar e da guerra colonial. No entanto, se na altura se fugia por motivos semelhantes, o emigrante tipo modificou, e não desfazendo da qualidade dos de então e dos de agora, a diferença para os cofres do estado é abissal. Hoje em dia enviam-se para fora, por falta de oportunidade cá dentro, a nata da formação, com um nível universitário que é requisitado por vários países por essa Europa fora. Pode estar descansado senhor ministro que eu não olho para o que diz, mas estou muito atento aquilo que faz, exactamente o contrário que certamente gostará que o eleitorado faça na altura de preencher o boletim de voto. Voto para que então o povo não se engane, nem se deixe levar pelo conto do vigário.

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Posts mais comentados

Tags

mais tags