Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

E porque não eu?

terapia de reflexão para mentes livres e com paciência, SA ou Lda não interessa, pelo menos pensar não paga impostos

E porque não eu?

uma Década

por António Simões, em 24.11.20

A inexorável, lenta, paciente e perniciosa virulência do tempo é uma pandemia para a qual não temos, nem alguma vez vamos ter, uma cura ou vacina capaz de a combater. O tempo é cruel e frio, e olha com o seu desdém de superioridade de quem sabe que acima dele nada existe, incapaz de parar por um momento que seja a sua tenacidade em andar para a frente, segundo após segundo, minutos que depois se tornam em horas e dias que não param de cair de maduros das folhas do calendário, para alimentarem a sua insaciável voracidade. Foi ao olhar para o calendário que verifiquei que este blog completou no passado sábado uma década de existência. 10 anos! Este meu espaço não foi obviamente imune à virulência do tempo, e se anos ouve em que a escrita foi diária, ultimamente resume-se a algumas pontuações esporádicas. Sabendo que no fim a derrota é certa, podemos olhar para a sobranceria do tempo, olhos nos olhos, e mostrar com toda a nossa força que não nos deixamos vergar e que somos capazes de dar luta. Porque é disso mesmo que se trata, de uma batalha que no dia a dia temos que vencer, de não desanimar perante as adversidades, arquivar os maus momentos na nossa pasta de encaixe, e ser capazes de continuar, e tal como o tempo andar para a frente. O simples facto de hoje aqui escrever é motivo de contentamento para mim, porque desse modo mostro ao tempo que 10 anos não são suficientes para o eporquenaoeu desaparecer...

oitavo Aniversário

por António Simões, em 22.11.18

Com um dia de atraso, mas cumprindo a velha máxima onde se preconiza que mais vale tarde do que nunca, venho recordar que foi na noite de 21 de Novembro de 2010 que este blog se iniciou. O motivo pelo qual o iniciei não mudou, a sua filosofia também não. As temáticas foram várias e mudaram de acordo com o sabor dos tempos. Em relação à escrita, o estilo procurou ser igual a si próprio, e se a periodicidade teve altos e baixos, como se verifica pelos últimos tempos, tal se deve única e exclusivamente ao seu autor, pois o dia-a-dia deste país serve de bandeja um sem fim de temas para se debruçar e escarnecer. Marcar uma data é sempre relevante e por isso mesmo não poderia deixar de lembrar esta, algo especial para mim, pois ao recordar estou a escrever, coisa que por muito pouco que seja é sempre bom, ao sentir que como pessoa somos capazes de pensar, raciocinar e processar, ou seja - existir - coisa que no mundo de hoje parece estar cada vez mais arredada.

Parabéns...

e vão Sete

por António Simões, em 21.11.17

Comemorar um aniversário, uma efeméride ou simplesmente uma data, é algo que faz parte da essência humana de recordar aquilo que já aconteceu, e reunir nesse espaço de tempo todo o conjunto de memórias que desde então engrandecem, documentam e justificam os motivos pelos quais se devem sempre celebrar datas que nos dizem algo,  e que pontuam de forma solene um dia especial no calendário. Com os inalienáveis altos e baixos este blog cumpre hoje 7 anos de existência, cimentados pelos 1097 artigos que desde então já foram publicados, alguns dos quais elevados ao estatuto de destaque pela equipa que gere os conteúdos do Sapo. Os comentários que triplicam o número de publicações são um dos combustíveis que continuam a alimentar a chama que permite alumiar o caminho de quem por aqui deixa estes pensamentos, e aos seus autores fica aqui o meu agradecimento pelo seu contributo. Obrigado!

sexto Aniversário

por António Simões, em 21.11.16

Passados que estão 6 anos desde o primeiro post , o meu pequeno espaço no universo da world wide web está de parabéns. E se assim está, não é apenas pela marca inexorável do calendário, mas também porque desde o primeiro dia sempre se manteve fiel ao seu objectivo, ao seu motivo principal que leva à sua existência. Aos leitores assíduos fica desde já o meu mais do que sentido obrigado. Aos que não são e, principalmente, a todos aqueles que não o são mas sabem que existe e apenas aqui não passam, sempre têm a possibilidade de recorrer ao histórico do blog, mas aviso desde já que este é o post nº 1038... a prosápia continua...

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Posts mais comentados

Tags

mais tags