Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

E porque não eu?

terapia de reflexão para mentes livres e com paciência, SA ou Lda não interessa, pelo menos pensar não paga impostos

E porque não eu?

dura praxis sed Praxis

por António Simões, em 31.01.14

De repente, um pouco por todo o lado, com patrocínio especial dos meios de comunicação, a estupidez morbida tuga subiu de tom e o país voltou a sua atenção para um assunto que tomam como principal responsável por uma tragédia que bateu à porta de alguns jovens e suas famílias. Já esta semana abordei o assunto, mas perante os últimos acontecimentos não posso deixar ficar de lado o mesmo. "A praxe é dura, mas é a praxe" em nada se poderá confundir com o que aconteceu na praia do Meco. Pertenci à mais velha Academia deste país, onde a tradição praxista é antiga, e é com muito orgulho e nostalgia que recordo esses tempos na cidade do conhecimento. Para ser praxado, ou praxar, é apenas necessário uma condição - aceitar as regras. De repente o país enlouqueceu ao debruçar-se sobre um tema que envolve pessoas adultas, com capacidade de decisão. Seria impossível descrever todos os problemas que o ministro da educação deveria ocupar o seu tempo, mas acho que será mais preocupante o bullyng que nas escolas tugas já levou jovens ao mau aproveitamento, depressão, e em alguns casos mesmo ao suicídio. Será mais preocupante constatar que estamos numa sociedade em que uma criança já é sujeita a descriminação na porcaria das chamadas redes sociais. Será mais preocupante o futuro incerto que este país está a preparar para os seus jovens. Estar a levar este assunto das praxes a este nível de discussão pública seria o mesmo que opinar acerca da Opus Dey, Maçonaria e afins, e então se nos lembrarmos do que se passa no meio militar, o melhor é nem pensar. O que está a acontecer é nada mais do que conundir a opinião pública, e isso sim, é uma praxe que eu não aceito.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    De António Simões a 04.02.2014 às 15:28

    No fundo é isso mesmo a que se resume esse episódio. 6 vidas que infelizmente acabaram antes do tempo. Todas as outras conclusões são pura demagogia.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D

    Posts mais comentados

    Tags

    mais tags