Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

E porque não eu?

terapia de reflexão para mentes livres e com paciência, SA ou Lda não interessa, pelo menos pensar não paga impostos

E porque não eu?

em viagem pela europa de Leste

por António Simões, em 12.10.17

Numa verdadeira viagem no tempo, a leitura deste livro mais do que trazer os registos nele narrados, é uma experiência única onde se contacta de forma directa e quase inicial com aquele que se viria a tornar um dos maiores escritores do século XX. Completamente fora do registo por qual o conheci, Gabriel Garcia Marquez descreve com o pormenor de um jornalista mas com a prosa de um escritor único, a viagem que fez pela Europa de Leste numa altura onde a II Guerra Mundial já pertencia a outra década, mas cujas chamas ainda se encontravam bem acesas numa Europa dividida por duas maneiras muito distintas de ver o mundo e a humanidade. Essa contenda entre a liberdade e a doutrina durou muitos anos e só não acabou noutra guerra mundial porque foi um conflito servido a frio. O livro é pequeno e sendo a leitura dele de um prazer imenso só espero que do baú das recordações, ou de uma gaveta onde se guardem rascunhos que nunca viram a luz do dia, ainda surjam novas provas que documentem o grande e versátil que era esse grande Colombiano.

a Denúncia

por António Simões, em 11.10.17

Como gosto do autor, e como de vez em quando é necessário dar um espaço a literatura mais ligeira, regressei a John Grisham e ao mundo dos advogados e dos julgamentos. Esclareço desde já que quando me refiro à "literatura mais ligeira" não o faço com qualquer sentido pejorativo, mas sim no sentido de diferenciar de outro tipo de obras/escritores, pois as viagens pelo mundo dos livros têm diferentes caminhos, sendo a meta a mesma - o prazer pela leitura e pelo conhecimento. Nesta "Denúncia" o escritor alerta para o perigo que um dos pilares da democracia pode correr quando a ganância entra pela casa da justiça dentro, levando consigo os tentáculos do mundo do crime. Numa história ficcionada mas que pode ser bem real, John Grisham conduz o leitor pela trama guiado pelos mais improváveis heróis - dois advogados que zelam pelo cumprimento das regras dos tribunais, que são alertados por uma denúncia anónima, movida não por um sentimento de justiça, mas sim na esperança de que se desfazendo uma injustiça lhe coubesse uma boa recompensa pela "boa" acção...

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Posts mais comentados

Tags

mais tags