Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

E porque não eu?

terapia de reflexão para mentes livres e com paciência, SA ou Lda não interessa, pelo menos pensar não paga impostos

E porque não eu?

pensamento do Dia

por António Simões, em 23.08.13

Aqui fica um pensamento desta mente inquieta, para meditar durante uns tempos...

 

"Se a ignorância, estupidez, imbecilidade e incompetência rendessem euros, a tugalândia nunca teria entrado em crise"

porque hoje é 22.08

por António Simões, em 22.08.13

... citando os Tribalistas e Marisa Monte, respectivamente, apetece-me dizer:


Você é assim
Um sonho pra mim
E quando eu não te vejo
Eu penso em você
Desde o amanhecer
Até quando eu me deito...


Deixa eu dizer que te amo
Deixa eu pensar em você
Isso me acalma, me acolhe a alma
Isso me ajuda a viver


:-)

auto Agosto

por António Simões, em 21.08.13

São várias a publicações acerca do mundo automóvel, em particular do comércio de carros. Também são várias as publicações acerca do mundo da economia, com destaque na actualidade para a temática relacionada com a crise. No entanto este mês que paulatinamente se aproxima do fim apresenta-se como uma publicação gratuita em formato real de uma mistura destes dois temas. De facto, quem quiser ver os últimos gritos e "bombas" da indústria automóvel basta aguardar pelo mês de Agosto, e deleitar-se com as máquinas de matricula estrangeira que se estacionam e circulam nas estradas do norte ao sul deste país. Claro está que os tempos de crise trouxeram pequenas modificações a este panorama, e hoje já se vêm matrículas suíças e francesas de Renault Clio e afins. Assim, o observador mais atento que seja assinante de publicações do mundo automóvel e do mundo da crise, pode agora cancelar os pacotes e aguardando o mês de Agosto tirar as suas conclusões...

primeira dama Cantora

por António Simões, em 20.08.13

Já estamos habituados a modelos que se tornam actores, actores que viram cantores e vice-versa. Em alguns casos existem sérias e boas surpresas, mas noutros faz-se justiça aquela velha máxima em que se preconiza que cada macaco deve manter-se no seu galho. Desta vez o mudar de rumo coube à primeira dama dos EUA que não contribuindo com a sua voz contribuiu com a sua boa disposição, numa colectânea de músicas que visam alertar os norte-americanos mais jovens para um estilo de vida saudável, como forma de combater o problema da obesidade infantil que existe nessas paragens. Não sendo inédita a existência de uma primeira dama cantora, este novo papel da esposa de Obama mostra que afinal de contas existem primeiras damas que não se deixam prender pelos modelos rígidos de uma aparência impostora, e deixam-se levar por aquilo que acreditam e fazem o melhor que podem ao ocupar esse cargo político não elegível. Muito bem Michelle!

bendita Secretária

por António Simões, em 19.08.13

Enquanto mais de metade do país se encontra de férias, e os que sobram para trabalhar suspiram por elas, quer seja por já terem terminado, quer seja por ainda não terem chegado, algo se poderia ter passado na passada semana sem que ninguém desse pelo sucedido. PPortas chefiou uma reunião de concelho de ministros onde umas das pastas em discussão versava sobre a reforma do estado. Na altura, uma boa alma mais atenta conseguiu ir a tempo de trocar essa pasta por outra, de forma a evitar que o assunto fosse para a sala de reunião. Bem haja à secretária que teve esse bom senso, pois tendo em conta os graves problemas de literacia, gramática e acima de tudo a interpretação particular que PPortas faz do significado das palavras, temo que no caso dessa reunião por si liderada a temática da reforma do estado no sentido da sua optimização de recursos fosse na verdade interpretada no seu sentido mais literal, preferindo assim o homem dos mil bonés das feiras permitir que o estado metesse os papeis para a reforma propriamente dita...

a madrugada Suja

por António Simões, em 16.08.13

Na terceira incursão numa obra de Miguel Sousa Tavares, volto a render-me ao seu génio literário. Este livro foi mais que tudo uma agradável surpresa ao descobrir que o suspense também faz parte das suas qualidades de escrita. Claro está que no seu todo o livro não foge a uma narrativa brilhante, fazendo-me lembrar o quanto gostei de ler "O Equador". Depois de ter ficado algo decepcionado com "O Rio das Flores", foi essencialmente o argumento desta Madrugada Suja que me convenceu a regressar, pois hoje mais do que nunca é importante esmiuçar o interior da podridão que está por detrás da grande e da pequena política. Com um retrato fantástico deste país antes e depois do 25 de Abril, o escritor faz uma análise completa com poucas palavras quer das pessoas, quer do "sistema", que no final de contas se traduz em parte da resposta ao estado actual em que chegamos. No final, fica a ideia que as intenções da personagem principal são belas, mas no mundo de hoje só se encontram mesmo numa prosa, como esta, bem escrita...

super cola 3

por António Simões, em 14.08.13

A super cola 3 é um artigo de natureza indispensável em qualquer lar. Sempre pronta a dar uma mão para prolongar a vida útil dos mais variados artigos susceptíveis de quebra, esta cola poderosa é capaz de autênticos milagres na hora de juntar peças. Desde madeira, porcelana, vidro, ferro e sei lá o que mais, poucas são as barreiras que esta fantástica invenção não consegue ultrapassar. Contudo, ao ler mais atentamente a embalagem onde o pequeno tubo de 3 gramas vem acondicionado, fiquei bastante perturbado com uma frase que se destinava a fins publicitários, como forma de mostrar a eficácia do artigo. É certo que para o ponto de vista da super cola 3 a frase "os fabricantes de aviões confiam na super cola 3", será uma boa forma de publicitar a eficácia do produto, mas, para o ponto de vista dos fabricantes de aviões, temo que esta publicidade seja um pouco à imagem da pescadinha de rabo na boca... eles podem confiar na super cola 3, eu é que fico a confiar menos nos fabricantes de aviões. Um bom exemplo de como uma publicidade pode ser boa para uns, e péssima para outros.

antes e Depois

por António Simões, em 13.08.13

Para além da publicidade enganosa que promete soluções miraculosas para uma série de situações menos favoráveis ao ponto de vista do visual corporal, agora são vários os programas de televisão que tornam o feio no bonito. A forma de se conseguir esse toque de midas do bom aspecto pode variar, assim como os resultados finais, mas todos partilham de uma particularidade - o antes. Num programa onde uma senhora entra no estúdio para se sujeitar a uma mudança de visual, tendo em conta a forma como apareceu, fiquei com a ideia que não precisava de se ter sujeitado a esse enxovalhamento público com direito a emissão televisiva nacional e pela internacionalidade da diáspora tuga. Em vez de se entregar às mão dos profissionais de beleza bastaria ter tomado um banho, secado o cabelo, e ter feito a viagem com a cabeça do lado de dentro do carro, ao contrário de a ter feito do lado de fora, pois assim parecia ter sido...

chef Gourmet

por António Simões, em 12.08.13

Há dias, durante uma degustação de produtos gourmet, reparei que o cozinheiro era tal e qual como os novos chef de cozinha que aparecem na televisão, ou seja, elegante. Sei que vindo de de um homem este comentário é um tanto ou quanto dúbio, mas desde já garanto a minha total e garantidamente exclusividade heterosexual. Cada macaco no seu galho... continuando e tal como dizia, as barrigas protuberantes e os cozinheiros bonacheirões do passado deram lugar a jovens de IMC inferior a 25. Esta alteração no fundo acompanhou o tamanho da comida. Dantes, durante o auge de cozinha tradicional, o cozinheiro podia provar a comida as vezes que precisasse até ter a certeza que estava no ponto, pois no fim a abundância no prato continuava garantida. Hoje em dia, com este estilo gourmet e de nouvelle couisine, o que chega ao prato do consumidor já é tão escasso, que se o cozinheiro ainda se pusesse a provar ao cliente não chegava nada. Ou seja, o cozinheiro, tal como a comida, diminuiu de tamanho...

temporada pateta Conclusão

por António Simões, em 09.08.13

Perante estes factos aqui apresentados no últimos 4 dias estou agora em condições de concluir. De facto, nem a temporada é silly, nem a season é responsável pelas notícias patetas. Os políticos que nos brindam com notícias e factos deste calibre apresentado ainda menos patetas ou sillys são, e tendo em conta as temporadas que levam "no ar" bem como as projecções para futuras eleições, só se pode concluir que os únicos silly e estupidamente patetas são na realidade todos aqueles que os levam ao poleiro - os eleitores. Tal como diz o ditado "cada um tem aquilo que merece"...

temporada pateta IV

por António Simões, em 08.08.13

Enumerar e descrever episódios, situações, decisões, leis e folhetins novelescos parodiantes que este governo nos deixou até ao momento, fruto de uma governação conduzida por um individuo que até ser primeiro-ministro não tinha sido nada e apoiado por outro que parece resultar de uma miscigenação entre raposa e abutre, seria tarefa árdua, e certamente que demorada e extensa. No entanto, mesmo com este cenário, confirmou-se na semana passada que afinal cada um tem aquilo que merece, pois uma sondagem efectuada confirmou que a distância entre rosas e laranjas é meramente vestigial. Podemos discutir o papel de oposição morna que a alternativa socialista oferece, mas porra, depois de tudo o que se passou o partido do governo apresentar intenções de voto superiores aos 30% é no mínimo vergonhoso e no máximo um bom exemplo do sadomasoquismo tuga. Os centristas esses é que não se importam com as fracas estimativas que as sondagens lhes auguram, porque acreditam na Fénix renascida do dia da votação, onde os velhos do restelo saudosos do tempo da outra senhora se revelam e colocam a cruzinha no partido das duas setas e bola ao meio.

temporada pateta III

por António Simões, em 07.08.13

O tribunal condenou, e recatadamente o antigo autarca presidente de filiação laranja se remeteu ao cumprimento da pena. Isaltino, condenado pelo modo como conduziu os destinos da autarquia que sempre souberam, e sem recurso a GPS algum, o caminho para a conta bancária do presidente, foi na semana passada presenteado pelos esforços em prol do seu próprio erário em detrimento do erário público. Um grupo de simpatizantes do homem que fuma charutos confundindo-se por vezes com a torre da petrogal achou por bem convocar os seus esforços para ser o candidato à presidência da assembleia municipal. Tendo em conta que está preso, esta candidatura autárquica é inédita. Realmente a acontecer algo deste calibre, a tugalândia seria certamente o local certo. Comprovadamente se comprova que o crime afinal compensa.

temporada pateta II

por António Simões, em 06.08.13

O pândego que preside o governo regional da madeira não nos para de surpreender. Na semana passada rasgou em público as páginas de um jornal local. Até ao momento ainda está por confirmar se o motivo está relacionado com uma foto sua em perfil que não lhe favorece o busto, ou se o jornal se lembrou de apresentar factos noticiosos que colocam a descoberto a sua verdadeira imagem. Quanto a mim, a segunda premissa parece mais robusta e confirma a minha teoria que Jardim anda mascarado durante o ano inteiro, e é apenas durante o carnaval da madeira que a sua verdadeira pessoa aparece. Este acontecimento deveria fazer inveja a Salazar, uma vez que o ditador recorria à caneta azul para fazer censura, enquanto que o ditador madeirense não está com falinhas mansas e rasga o que acha que não deve ser lido como se não houvesse amanhã. Com brindes como estes a que Jardim nos habituou, cada vez faz mais sentido dizer que já se viu um porco a andar de bicicleta...

temporada pateta I

por António Simões, em 05.08.13

É habitual nesta altura do ano referir-se ao período de menor incidência de notícias como a "Silly Season", fruto do período de ferias de uma grande maioria das pessoas. Mais do que nunca este ano aqui pela tugalândia as notícias abundam, e tem tanto de matéria noticiosa como de "silly". Assim, e porque a semana passada foi pródiga em matéria noticiosa para parodiar, vou escarnecer nos próximos 4 dias de 4 notícias para na sexta feira concluir se de facto a season é silly.

Em primeiro lugar vou começar pela pessoa que neste momento ocupa o lugar do primeiro ministro. PPortas, munido do seu ar e cara de quem comprou umas cuecas demasiado apertadas, não para de escalar posições e, pelo menos durante uns dias, é ele que comanda os destinos desta jangada que teima em não andar à deriva. Valha-nos os Pirenéus para garantir a estabilidade, que com este tipo no leme, mesmo que por uns dias, temo pelo rumo da sua orientação que já deu provas de uma esquizofrenia conveniente. Cá está a merecida recompensa, acrescida de novo gabinete com televisão satélite, sofá de couro reclinável e purificador de ar, tudo atribuído ao homem que colocou o país à beira de um ataque de nervos. Comprovadamente se comprava que o crime afinal compensa.

largos dias tem 100 Anos

por António Simões, em 02.08.13

Uma biografia é sempre melhor quando contada na primeira pessoa. Neste livro, Jorge Nuno Pinto da Costa, uma enciclopédia viva não só do futebol mas do desporto em geral, conta e revela pormenores e curiosidades do seu vasto passado como adepto, seccionista, dirigente e presidente do Futebol Clube do Porto. Ao ler, como portista que sou, pude saborear momentos que não vivi, alguns dos quais ouvi pelas histórias que o meu pai me conta, bem como recordar memórias já do meu passado como Dragão. No fundo, tudo se resume ao de sempre, recordar vitórias e comemorações que mais se afirmaram, e afirmarão, com Pinto da Costa ao comando.

viva Agosto

por António Simões, em 01.08.13

Viva! Hip Hip Urra! E todas as outras interjeições de júbilo possíveis e imaginárias são a melhor forma de dar as boas vindas ao mês de Agosto. Claro está que a alegria desta época resulta sempre das meninas de biquíni, nas férias ou nos dias grandes e de sol que aumentam a produção de melatonina, mas este ano, e mais do que nunca, existe um motivo que de norte a sul do país congrega os corações tugas numa ode de celebração ao mês cujo nome é um tributo ao imperador César Augusto. De facto, com a interrupção dos trabalhos na Assembleia da República e com as férias dos políticos, nomeadamente daqueles que tem a maioria dos assentos, sendo eles que ditam as leis estas encontram-se assim suspensas e pelo menos durante umas semanas o bolso do contribuinte tuga poderá descansar e relaxar um pouco. Já em relação ao presidente da república não se pode dizer o mesmo, uma vez que para ele o mês de agosto dura o ano inteiro, com a diferença que por estes dias em vez de o vermos a tratar do jardim de Belém, vai ocupar-se da horta de boliqueime...

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Posts mais comentados

Tags

mais tags