Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

E porque não eu?

terapia de reflexão para mentes livres e com paciência, SA ou Lda não interessa, pelo menos pensar não paga impostos

E porque não eu?

os anagramas de Varsóvia

por António Simões, em 08.02.16

Sendo uma das minhas temáticas favoritas, a fasquia encontrava-se bastante alta à partida para as primeiras páginas. Com o gueto de Varsóvia como pano de fundo e um clima de thriller à mistura, Richard Zimler prendeu a minha atenção logo desde o início, e fossem outros os tempos, onde tinha tempo para fazer coisas que levam o seu tempo, a leitura deste livro poderia ter batido recordes de velocidade. A personagem principal guia o leitor pelo desenvolvimento dos acontecimentos, mostrando uma complexidade que se manifesta no complexo modo de referência às coisas recorrendo aos anagramas e segundos sentidos, mas também porque se mostra rica em manifestações de tristeza e alegria, marasmo e humor. É assim deste modo que um dos mais cruéis aprisionamentos de seres humanos da história é apresentado, pela convivência com o dia-a-dia de pessoas que tal como Erik Cohen se limitavam a acordar no dia seguinte, sabendo que poderiam muito bem não chegar a ver o próximo. O velho psiquiatra Judeu encarna todo um estereótipo mimetizado pela forma brutal como vê o seu sobrinho-neto partir, ou pela exaustão do sofrimento que faz a sua sobrinha sucumbir, sobrando-lhe ainda forças para encontrar o norte da sua razão de existir, sentido que lhe garante uma sobrevivência que não se esgota na componente física, mas transcende para a mente das pessoas que não podem ficar indiferentes perante uma história que não é ficção. A 2ª Guerra Mundial existiu, os campos de concentração foram uma realidade, os muros que delimitavam os contornos dos Guetos forma edificados, e cerca de 6 milhões de Judeus não puderam comemorar o dia da Vitória na Europa, a 8 de Maio de 1945. Obras como esta servem para não esquecer os actos mais bárbaros, inverosímeis e ignóbeis que o homem é capaz, e desde essa data que outras vitórias se comemoraram, mas infelizmente ainda existem muitas outras para alcançar.

Blogs Portugal

2 comentários

Comentar post

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Posts mais comentados