Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

E porque não eu?

terapia de reflexão para mentes livres e com paciência, SA ou Lda não interessa, pelo menos pensar não paga impostos

E porque não eu?

e-segregação Social

por António Simões, em 20.09.16

Na hora de encontrar um adjectivo ou algo que classifique o que aqui vou explorar, tenho alguma dificuldade na escolha a efectuar. Por um lado, penso que se pode olhar para isto como uma espécie de bullying informático. Não será também descabido considerar que é uma das formas de pressão social mais fortes do momento. Num mundo onde a democracia está cada vez mais ameaçada, pelas formas de segregação e de censura mais maliciosas que a mente humana alguma vez criou, poderei mesmo olhar para o assunto como se de uma ditadura se tratasse. Dito isto, procuro olhar para o assunto do modo mais isento e clarividente possível, não fugindo à coerência da lógica e do raciocínio. Se em tempos o telegrafo rompeu as barreiras da geografia e o telefone aproximou as pessoas, coube à internet romper de vez com qualquer obstáculo que ainda existisse na aproximação dos indivíduos de um planeta cada vez mais "pequeno". Tudo a seu tempo e doseado de modo terapêutico sempre foi receita para aproveitar estas bênçãos da evolução. Não é contudo o que se passa nos dias de hoje. Até agora sempre se respeitou a diferença, e nunca foi condição pertencer seja a que for para viver o dia a dia. No entanto, e cada vez mais, a pandemia gerada pelas redes sociais corroeu e corrói da mais dilacerada das formas aquilo que supostamente envergam como bandeira. O leitor poderá confirmar isso mesmo nos casais ou grupos de amigos sentados numa esplanada de um café, de corcunda orientada para o pequeno ecrã donde por vezes saltam exclamações e comentários. O leitor compreenderá que hoje em dia quem não tem facebook é um espécimen estranho, à luz dos cânones do momento. O leitor entenderá que pessoas como eu, que não têm facebook, estão fartas de "então não vistes no face", ou "depois ponho no face". O leitor perceberá que é ridículo existirem situações, seja num grupo, num evento ou num site qualquer, em que só tendo facebook é que é possível aceder. O respeito pela diferença exige que as formas de segregação sejam coisa do passado, algo que, temo eu, já esteve bem mais longe do que hoje está.

Blogs Portugal

6 comentários

Comentar post

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Posts mais comentados